quinta-feira, 13 de março de 2008

15 de Março no Porto - TODOS para o Pavilhão do Académico

"O comício nacional do PS marcado para o dia 15 de Março no Porto, que levará José Sócrates ao reencontro com as bases, foi transferido da Praça de D. João I para o Pavilhão do Académico, uma mudança que "protegerá" o líder socialista de qualquer imprevisto vindo da rua." (Público, 06.03.08)

Ver localização aqui

12 comentários:

Ana Silva disse...

Meus caros professores o direito de reunião e manifestação faz parte dos direitos,liberdades e garantias dos cidadãos.Independentemente de ser o PS ou qualquer outro partido ou organização social.Não vos parece que essa vossa atitude de fazer figuras á porta das sedes ou outros locais de reunião partidária,só vos deixam muito mal vistos aos olhos dos cidadãos deste País que respeitam as regras democráticas.Por vezes mesmo tendo razão as pessoas acabam por hipotecar a sua credibilidade por actos que deviam ser analisados de uma forma mais racional.

Anónimo disse...

Eu acho que SIM, TODOS deveremos aparecer à porta do Pavilhão do Académico. De luto e em Silêncio.Com a nossa e pela nossa dignidade!
Lá estarei.

Um professor

J P G disse...

Vamos sim, mas em silêncio total!

mcgs07 disse...

debate sobre isto no umbigo. Não concordo com mais tiros no pé. Muita lucidez!

Anónimo disse...

ATENÇÃO VIANA DO CASTELO E BRAGA

Não podemos deixar a nossa luta nas mãos dos sindicatos.

Não podemos deixar a nossa luta perder a força com a interrupção da páscoa.

A partir da 4ªfeira, dia 19 de março, a partir das 18.30, todos os professores dos distrito de Viana do Castelo e Braga estão convocados para participar, em vigílias ininterruptas até à 2ª de começo do 3º período, a realizar na Praça da República e Avenida Central, respectivamente.

Esta acção repetir-se-á nas outras capitais de distrito e cidades do país.

Vamos mostrar a Portugal que a qualidade e a defesa do nosso ensino é para nós mais importante do que a pausa da Páscoa.

Reenvia! Divulga!

Vítor Ramalho disse...

Força e não desistam, os pais e os alunos também estão convosco, porque esta luta é de todos.

José Neto disse...

É MAIS LÚCIDO APRESENTAR ALTERNATIVAS DE DEBATE. VEJAM O EXEMPLO DA FINLÂNDIA!
Assistiu-se entre nós a um diálogo extremado entre duas posições antagónicas:

1 - Os sindicatos pretendem que se perpetue o modelo de “avaliação” anterior, que permite a cada professor passar confortavelmente toda a sua carreira sem dar cavaco a ninguém;

2 - O ME quer impor um modelo industrial que tem subjacente a distribuição normal, forçando os professores a distribuir entre si uma quota limitada de “excelentes” e de “muito bons”, situação geradora de conflitos no quotidiano das escolas.

O primeiro cenário é propício à pasmaceira e acomodação dos docentes ao doce fare niente, que desmotiva aqueles que tomem a dignidade da profissão a sério, isto é, para além das palavras de ordem, interiorizando-a no seu quotidiano escolar. Porém o segundo, é um conjunto de escalas semelhantes às que os professores utilizam para classificarem os seus alunos, e que a generalidade deles até pensa que são objectivas, apenas porque lhes permitem objectivar as notas. Ambas realizam a magia de medir o não mensurável, esquecendo frequentemente o que é importante.

Uma forma de nos afastarmos deste diálogo do Terceiro Mundo, é olharmos para um país que é sempre apresentado como referência quando se debatem os resultados escolares internacionais a Matemática. Na Finlândia os professores não andam enrolados em “objectivos individuais” em função do “plano educativo”, blá, blá, blá,... Respondem perante um “principal” que lhes estabelece os objectivos.

http://netodays.blogspot.com/2008/03/avaliao-dos-professores-o-exemplo-da.html

Anónimo disse...

Não desistiremos. Também sou pai e encarregado de educação. Apoio incondicional. Sábado lá estaremos.

Anónimo disse...

Cá para mim , ali atrás a "A.S." é alguém da máquina de PROPAGANDA do P.S.,que como é já sabido (?)tem N voluntários a "trabalhar" diariamente, à frente de computadores para fabricarem "ruídos" contra a mais que lagítima luta dos professores de Portugal.
Como pai, aprovo inteiramente esta luta, pois considero-a (ainda...) um direito democrático que assiste aos professores, não só em defesa dos seus direitos, como também em defesa de uma Escola Pública digna e edificante para os nossos filhos.
Quanto aos Sindicatos, meus amigos professores, vocês foram na capital mais de 100.000... Não se deixem "tutelar" (mais ums vez) por ninguém.
Força!

Um Encarregado de Educação (a sério.. e preocupado)

Helena Castro disse...

Parece-me que o direito à manifestação ordeira continua a ser um direito de todos. O PS tem o direito de se reunir e os professores têm o direito de se manifestar, desde que não haja violência. Infelizmente não poderei lá estar, mas estou em pensamento e espero que corra tudo bem.
Viva a Democracia! A luta por melhores condições educativas é, mais do que um direito, um dever de todos.

Helena Castro

Anónimo disse...

Onde fica o Pavilhão do Académico?

Movimento dos Professores Revoltados disse...

Podem ver este link para saberem a localização correcta:

http://maps.google.com/maps?f=q&hl=en&geocode=&q=R+Costa+Cabral+186,+Porto+4200-208+PORTO&sll=41.162994,-8.602241&sspn=0.004216,0.010042&ie=UTF8&t=k&z=16